Riscos de liquidez e desinvestimento

O FII é um veículo de investimento emergente no mercado brasileiro, constituído, nos termos da legislação vigente, como condomínios fechados e, portanto, não é permitido o resgate de suas cotas sob quaisquer circunstâncias. Os cotistas que desejam vender suas cotas no mercado secundário podem encontrar dificuldades.

Além disso, pode haver períodos em que pode ser difícil alienar os ativos do Fundo devido a demanda ou negociabilidade baixa ou inexistente. Nestas condições, o Administrador pode ter dificuldades em alienar ou negociar esses ativos ao preço e hora desejados e, como consequência, o Fundo pode enfrentar problemas de liquidez. Além disso, a diminuição do valor dos activos financeiros em que o Fundo investe pode ter um impacto negativo no patrimônio líquido do Fundo.

Em tais casos, os Quotistas podem ser solicitados a alocar recursos adicionais ao Fundo. Além disso, o Regulamento estabelece que, em determinadas circunstâncias, a Assembléia Geral de Quotistas pode decidir liquidar o Fundo ou resgatar as quotas atribuindo aos Quotistas os ativos da carteira do Fundo, com o risco de receber uma fração ideal de Propriedade, Ativos Imobiliários e Outros Ativos, que serão entregues após tais Ativos serem incorporados como um condomínio. Nesses casos, os Quotistas podem não dispor dos ativos recebidos em conexão com a liquidação do Fundo.