A instabilidade política pode afetar adversamente o negócio imobiliário e seus resultados

As crises políticas podem ter um efeito adverso sobre o setor imobiliário e seus resultados. O ambiente político brasileiro influenciou historicamente e continua influenciando o desempenho da economia do país. As crises políticas afetaram, e podem continuar afetando, a confiança dos investidores e da população em geral e resultaram em uma desaceleração da economia e no aumento da volatilidade dos títulos emitidos por empresas brasileiras.

O Brasil recentemente passou por um processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff. O novo governo tem enfrentado o desafio de reverter a crise econômica política do país, além de aprovar as reformas sociais necessárias para um ambiente econômico mais estável. A incapacidade do governo do presidente Michel Temer de reverter a crise política e econômica do país e de aprovar reformas sociais pode ter efeitos na economia brasileira e afetar negativamente os resultados operacionais e a condição financeira dos imóveis.

A Operação Lava Jato e a Operação Zelotes são investigações em andamento que podem afetar negativamente o crescimento da economia brasileira e dos negócios imobiliários. Os mercados brasileiros têm sido cada vez mais voláteis devido às incertezas decorrentes de tais investigações, conduzidas pela Polícia Federal, Ministério Público e outras autoridades. A Operação Lava Jato investiga o pagamento de subornos a altos funcionários de grandes empresas estatais em troca de contratos concedidos pelo governo ou entidades ligadas ao governo a empresas do setor privado nos setores de infraestrutura, petróleo, gás e energia, entre outros. Os lucros dessas propinas supostamente financiavam as campanhas políticas dos partidos políticos, bem como serviam para enriquecer pessoalmente os beneficiários do esquema de suborno. Como resultado, vários políticos importantes, incluindo o atual presidente Michel Temer e funcionários das principais empresas estatais e privadas no Brasil, estão sendo investigados e, em certos casos, renunciaram ou foram presos. Atualmente, uma queixa foi apresentada pelo Ministério Público contra o atual Presidente, Sr. Michel Temer. A Câmara dos Deputados poderá autorizar uma ação judicial contra o Presidente e, como resultado, o Sr. Temer poderá ser destituído do cargo e o Sr. Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, atuará como presidente interino do Brasil. Além disso, a Operação Zelotes investiga alegações de pagamentos indevidos feitos por empresas brasileiras a executivos do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (“CARF”). Alega-se que o objetivo de tais pagamentos indevidos era induzir esses funcionários a reduzir ou a renunciar a certas penalidades fiscais impostas pela autoridade federal de receita federal, que estavam sob revisão do CARF. Embora essas investigações ainda não tenham sido concluídas, elas já tiveram um impacto adverso na imagem e reputação das empresas envolvidas e na economia brasileira. Não está claro se essas investigações levarão a mais instabilidade política e econômica ou se novos escândalos de corrupção surgirão no futuro. Além disso, não podemos prever o resultado dessas investigações ou seus efeitos na economia brasileira. O desenvolvimento desses casos pode afetar adversamente a economia brasileira e, consequentemente, os ativos do Fundo, a rentabilidade e o preço de negociação das Quotas.